CNAPEF - Educação Física e Desporto

Carta dirigida ao Ministro da Educação – Estudantes de Mestrado de ensino de Educação Física da Universidade Lusófona – Lisboa

Em anexo segue a carta que os estudantes de mestrado de Educação Física da Universidade Lusófona, Lisboa, dirigiram hoje, dia 4 de Junho de 2012, ao Gabinete do Ministro da Educação e Ciência em resposta à divulgação das matrizes curriculares dos Ensinos Básico e Secundário no sítio da DGE.

Nos próximos dias outras cartas irão ser publicadas no sítio do CNAPEF.

Carta dirigida ao Ministro da Eucação, Nuno Crato, Estudantes Mestrado da ULHT

Matrizes curriculares 2012/2013 – CNAPEF e SPEF dirigem carta aberta ao Ministro da Educação, tomando posição de “profunda indignação e total discordância” relativamente àquilo que apelidam de “um equívoco, um erro que urge corrigir”.

Após publicação do documento “Matrizes Curriculares dos Ensinos Básico e Secundário” na passada semana no sítio electrónico da DGE , muitas têm sido as questões levantadas relativamente ao impacto desta medida na disciplina Educação Física. Da discussão intensa entre membros do CNAPEF e da SPEF, foi tomada a decisão de dar um primeiro passo.

Hoje, dia 28 de Maio, foi enviada uma carta aberta dirigida ao Sr. Ministro da Educação e Ciência, Prof. Dr. Nuno Crato. Nela é manifestada a estranheza desta medida, assim como é colocado um conjunto de questões sobre os argumentos que suportam as decisões expressas nas matrizes. É feito ainda um alerta para as possíveis consequências que esta organização da carga horária da Educação Física poderá trazer para o desenvolvimento dos nossos alunos e alunas.

Tal como vem hoje mencionado na comunicação social, este documento criou um confusão geral nos entre os diretores de escolas e noutros grupos de recrutamento. Existem muitas questões que deverão ser esclarecidas por quem tem essa competência, nomeadamente pelos responsáveis do Ministério da Educação e Ciência.

O CNAPEF e a SPEF estão atentos. Outras medidas estão neste momento a ser projectadas, nomeadamente a participação das entidades relacionadas com a prática de actividade física, onde de incluem as escolas.

Solicitamos aos nossos colegas que façam circular esta informação pelo profissionais de Educação Física. Contactem as APEFs das vossas zonas geográficas . Neste momento, tal como em qualquer outro, é importante estarmos unidos e associados em torno da defesa da nossa área profissional.

Segue, em baixo, o texto da carta enviada hoje para o Ministério da Educação e Ciência.

Exmo. Sr. Ministro da Educação e Ciência, Prof. Dr. Nuno Crato,

Foi com profunda indignação e total discordância que a comunidade da Educação Física (EF) se confrontou, no passado dia 25 de maio de 2012, com o teor da matriz curricular para implementar no ano letivo 2012/13, disponibilizada no sítio da Direção Geral de Educação (DGE).

A total falta de coerência entre o conteúdo desta matriz e o do documento referente à Revisão da Estrutura Curricular que o Ministério da Educação e Ciência (MEC) apresentou como a proposta final decorrente deste processo, no dia 26 de Março de 2012, ao movimento associativo de Educação Física e público em geral, só nos pode levar a concluir que se trata de um equívoco por parte do MEC, um erro que urge corrigir.

Não são minimamente sustentáveis as decisões que este documento encerra. Para além de não existirem nenhumas razões conceptuais, científicas e de natureza curricular que fundamentem a agregação da Educação Física, Educação Visual, TIC e Oferta de Escola numa área intitulada de Expressões e Tecnologias no 3º ciclo, é atribuído um crédito total de minutos a esta área para ser gerido no seio de cada escola, de acordo com o critério dos seus gestores, permitindo que possa vir a desprezar-se totalmente a carga horária que estava definida para a área disciplinar da Educação Física, por ano/ciclo de escolaridade, que já de si era claramente insuficiente face a todas as orientações internacionais, nomeadamente europeias. No caso particular do Ensino Secundário, é proposta uma redução de trinta minutos na carga horária da disciplina de Educação Física, o que perfaz cerca de menos 16 horas de aulas anuais, ou seja, menos cinco semanas de aulas por ano.

Esta proposta de matriz promove de forma totalmente injustificada e sem qualquer base científica uma redução horária da única área do currículo que contribui direta e decisivamente para a saúde da população infanto-juvenil portuguesa, num contexto em que o país revela a segunda maior taxa de prevalência de obesidade e sobrepeso da Europa, e uma das mais baixas taxas de prevalência de atividade física. Consequentemente, promove o desenvolvimento de um dos maiores flagelos do século XXI, o sedentarismo, e compromete o imprescindível desenvolvimento de hábitos de vida saudável na população portuguesa. Esta matriz, para além de contrariar todas as orientações curriculares europeias, no que à Educação Física diz respeito, surge em contraponto a uma recente resolução da Assembleia da República Portuguesa, onde se reconhece a necessidade de se reforçar a atividade física da população em idade escolar. Perante estas evidências, está Vossa Excelência consciente das consequências nefastas para a saúde da população portuguesa desta decisão e na disponibilidade de a assumir junto dos alunos, pais e do país em geral? Estará Vossa Excelência convenientemente informado sobre o impacto económico da prevenção da doença através da atividade física previsto pela Organização Mundial da Saúde?

Deste modo, perante as graves consequências para as finalidades do sistema educativo nacional e a forte indignação da classe dos profissionais da Educação Física face a esta orientação de que Vossa Excelência é o principal responsável, vimos solicitar uma audiência urgente e exigir a suspensão imediata desta proposta tão controversa quanto peculiar.

Os Presidentes das Direções do CNAPEF e da SPEF,

João Lourenço

Marcos Onofre”

Redução da Carga Horária da Educação Física no 3º ciclo do EB e no Ensino Secundário?

Numa consulta ao site da Direção Geral de Educação, http://www.dgidc.min-edu.pt/ , o CNAPEF deu conta de um documento intitulado – “Matrizes Curriculares dos Ensinos Básico e Secundário.” – Matrizes curriculares do Ensino Básico e Secundário

Neste documento a carga horária da Educação Física no 3º Ciclo está incluída no grupo das Expressões e Tecnologias, com um total de 300 minutos de carga horária semanal nos 7º e 8º anos e 250 minutos no 9º ano. Estes minutos serão distribuídos pela nossa disciplina, pelas TIC e oferta de escola e pela Educação Visual. Acrescenta ainda uma alínea com o seguinte texto – “b) Do total da carga, no mínimo, 90 minutos para Educação Visual, nos 7.º e 8.º anos e 135 minutos no 9.º ano. ”

Quanto ao Ensino Secundário, é indicada uma carga horária semanal de 150 minutos.

Após publicação do documento final da revisão curricular deste Governo, no passado mês de Março, onde se mantinham os 135 minutos semanais para os 2º e 3º ciclos do EB e 180 minutos para o Ensino Secundário, é com preocupação que o CNAPEF dá conta deste documento no site do DGE pelos efeitos negativos que trará para o desenvolvimento desta disciplina e, consequentemente, para a formação da nossas crianças e jovens.

Como sucedeu em situações anteriores, estamos atentos e iremos reagir prontamente e decisivamente junto das entidades responsáveis no sentido de averiguarmos o que este documento significa.

Novo Programa de Desporto Escolar em Portugal?

Recomendações da Assembleia da República para o combate à obesidade infanto-juvenil em Portugal.

É com espanto que “demos de caras” com esta resolução da Assembleia da República.

Uma das medidas recomendadas é a criação de um programa de Desporto Escolar organizado por regiões e em colaboração com os Professores de Educação Física. Será que o Governo não tem conhecimento que já existe um programa de Desporto Escolar em Portugal? Ou, noutra perspectiva, estará em vista um Desporto Escolar reformulado? Não sabemos porque não fomos consultados.

Para nós, portugueses, vice campeões europeus de obesidade infanto-juvenil, este deverá ser um tema de grande preocupação. Ainda mais quando verificamos que a Expressão Físico-Motora no 1º Ciclo continua a ser uma utopia, quando ainda recentemente sofremos uma redução da carga horária atribuída ao Desporto Escolar e, quando, apesar de todas as recomendações, continuamos com uma carga horária claramente insuficiente na Educação Física dos 2º e 3º ciclos do Ensino Básico.

Poderá consultar o documento através do seguinte link Resolução AR 68 2012-1 ou da imagem em baixo.

Seminário Avaliação das Aprendizagens na Avaliação da Educação – CNE.

O CNAPEF respondeu positivamente ao convite do CNE (Conselho Nacional de Educação), marcando presença no passado dia 2 de Maio no Seminário Avaliação das Aprendizagens na Avaliação da Educação.

O destaque neste encontro esteve na apresentação de um recente estudo da OCDE sobre o sistema educativo português. Através da explicação do Dr. Paulo Santiago, um dos membros da equipa da OCDE, foram indicadas mais valias e desafios de Portugal nas seguintes áreas – organização da avaliação, avaliação das aprendizagens dos alunos, avaliação do desempenho docente, avaliação de escolas e avaliação do sistema educativo.

Poderão descarregar o relatório completo a partir do link em baixo.

OCDE-portugal 2012-1

Seminário em Educação Física em Aveiro – 19 de Maio.

À semelhança do que sucederá em Évora no próximo dia 5 de Maio, a cidade de Aveiro irá também acolher uma replicação do seminário intitulado “Desenvolvimento Curricular e Avaliação em Educação Fisica – Contributo das  metas de Aprendizagem“, que ocorreu no passado mês de Janeiro na Universidade Lusófona.

Este evento decorrerá no dia 19 de Maio sobe a organização da APEF AVEIRO, em colaboração com a SPEF, o CNAPEF, a Câmara Municipal de Aveiro, o Centro de Formação da Associação de Escolas .dos Concelhos de Aveiro e Albergaria-a-Velha e a Escola Básica 2,3 S. Bernardo (Aveiro).

Estamos convictos que os temas a abordar irão ao encontro do interesse e das necessidades de desenvolvimento dos profissionais desta zona do país, constituindo-se como um importante momento de partilha de experiências a respeito da Avaliação e do Desenvolvimento do Currículo na Educação Física.

Em baixo poderão encontrar o folheto de divulgação e o programa.

Programa Seminário Aveiro 19 de Maio 2012

Seminário de Educação Física em Évora – 5 de Maio

A APEFÉVOARA irá realizar no próximo dia 5 de Maio uma replicação do seminário intitulado “Desenvolvimento Curricular e Avaliação em Educação Fisica – Contributo das  metas de Aprendizagem“, que ocorreu no passado mês de Janeiro na Universidade Lusófona.

Em colaboração com a SPEF e o CNAPEF, e com colaboração da DREAL e Proto-Departamento de Ciencias do Desporto da Universidade de Évora, este evento irá contar com a participação de 6 Escolas.

Espera-se, tal como sucedeu em Lisboa, que haja uma participação em massa dos profissionais de Educação Física e que as experiências trazidas pelos nossos colegas possam contribuir para a análise da realidade das práticas associadas ao Desenvolvimento do Currículo e à Avaliação em Educação Física.

Em baixo poderão encontrar o folheto de divulgação e de inscrição.

Programa do Seminário

Artigo sobre relação entre Atividade Física e Desempenho Escolar

Artigo interessante enviado para nós pela colega Joana Maurício, retirado de http://www.usatoday.com/news/education/2010-04-14-letsmoveinschool15_ST_N.htm